8 de abril de 2013

Follow that cab!

Uma daquelas coisas que se vê nos filmes e com que metade do mundo sonha é entrar num taxi e gritar "follow that cab!", mas também se pensa que não acontece na vida real.
Hoje convidei uns amigos meus para jantar, uma rapariga irlandesa, uma francesa e um grego, que estavam comigo numa aula e com quem me dei muito bem.
Estávamos entre o segundo copo de vinho e uma fatia de bolo quando a irlandesa gritou "she's here!!! she's so close!!!" e explicaram-me que o namorado dela tinha deixado o telemóvel num taxi de uma mulher que lhes pediu 60$ para devolver o telefone e nunca mais o atendeu. A minha amiga estava a fazer tracking do telefone há dois dias pela app Find My iPhone e nessa altura ela estava três ruas acima da minha. Continuámos a ver para onde ia, quando percebemos que estava perto outra vez saímos de casa para ir atrás dela. 
Entrámos num taxi e explicámos ao senhor que tínhamos um pedido estranho para lhe fazer, mas que era mesmo a sério: ele tinha que seguir um taxi que estávamos a seguir pelos telefones. Com dois telefones a fazer tracking e um taxista (que ao princípio achou que estávamos a gozar mas aceitou quando prometemos uma boa gorjeta) metemo-nos a caminho, para trás e para a frente, sempre entre a 1st e a 3rd avenues. 
Andámos às voltas, apanhámos todos os sinais vermelhos e às tantas o taxista também já estava tão dentro da cena de filme que passava sinais vermelhos. Fomos da 29th com a 6th av até à 71st com a 3rd e parámos quando percebemos que o outro taxi estava duas ruas a baixo a vir na nossa direcção. Saímos do taxi e esbracejámos que nem loucos no meio da rua, até vermos um taxi conduzido por uma mulher e o fazermos parar. Ela parou e não queria dar o telefone, porque não podia saber se era mesmo a dona, mas com 40$ na mão já não se importou tanto de o devolver.
Catorze minutos e 65$ mais tarde, tínhamos o iPhone de volta e olhámos uns para os outros com o ar mais incrédulo do mundo. Nós tínhamos acabado de entrar num taxi, pedir-lhe para seguir outro, pará-lo no meio da rua e resgatar um telefone.

O recibo, que serve de souvenir para o futuro.



4 comentários:

  1. ahahahahahahaahahahah, estou-me a rir a horas completamente inusitadas (que é como quem diz, eu até às 9h não sou pessoa e são 8h39 e já me estou a rir). Que lindo!!

    ResponderEliminar
  2. Adorei a história!!! Realmente uma daquelas histórias para contar as nossos netos!!!

    ResponderEliminar
  3. Adorei a historia, mesmo a filme! NYC e mesmo outro mundo. De algum lado tem de vir a inspiracao para os argumentos! Ai o que eu nao dava para ter estado presente! Beijinhos e boas aventuras por NYC

    ResponderEliminar
  4. Realmente, foi mesmo uma cena à filme americano! Deve ter sido super divertido, apesar de tudo. Continuação de boas aventuras! Bj

    ResponderEliminar