9 de dezembro de 2012

Onde é que isto vai parar ou carta aberta ao Toys"R"Us

Estava no Toys"R"Us de Times Square (num Sábado, medooo) a despachar o último presente de Natal, quando passei por um expositor de peluches a imitar células cerebrais, células nervosas, ácaros, micróbios, uma molécula de mau hálito e três daquelas-coisas-viscosas-cujo-nome-ficou-perdido-algures-na-minha-infância com que os miúdos adoram brincar. Uma dava pelo nome de Peste Negra, outra era Meat Eater e a terceira, meus amigos, a terceira chamava-se Antrax. Fiquei algum tempo a tentar perceber se estava maluca ou se, de facto, havia quem quisesse pôr crianças a brincar com uma gosma com o nome carinhoso de Antrax. No meu grupo as opiniões dividiram-se entre os que não achavam nada de especial e os que ficaram chocados com um brinquedo ter o nome de uma arma biológica. Qual vai ser a próxima ideia? Garrafas de lixívia com sumos lá dentro? Gomas inocentemente chamadas Ecstasy? Uns perfumes em frasquinhos a fingir ácido sulfúrico? Toys"R"Us, ficam aqui estas boas ideias, que eu sou amiga.

4 comentários:

  1. Infelizmente a imaginação perversa e o consumismo não têm limites.

    ResponderEliminar
  2. Eu ia começar o meu comentário com 'Opa isto pode ter outro sentido'... Mas depois percebi q isto não tinha sentido nenhum... Realmente acho isto absolutamente ridiculo e espero que o meu afilhado n me peça uma molecula de antrax pelo natal... MAS de certa forma isto é educativo... Assim duma forma absolutamente absurda, mas quiçá se não foi essa a intenção...

    Agora... Existe aqui outro ponto... Não será este brinquedo tão 'perigoso' como as armas de brincar a q todos os miúdos têm acesso? Só compra quem quer...

    ResponderEliminar
  3. Eu até achei piada à coisa em si (de uma forma académica, tipo ilustrar a forma) mas não acho sentido em que seja vendido como brinquedo.

    ResponderEliminar