11 de dezembro de 2012

Ainda sobre o gato...

A família não está muito convencida que seja boa ideia. Vou iniciar uma luta pelo direito a viver na companhia de um animal. Vou tentar explicar que me vai fazer bem ter uma coisa viva para tomar conta (já tenho um pinheirinho, mas acho que não é bem a mesma coisa), que sou muito bem comportada e mereço, que pode atacar os ladrões que me entrarem em casa, que mata os ratos (e se tiver muita sorte pode ser que até goste de esborrachar baratas), que os gatos atraem os espíritos maus para eles em vez de nós, que se houver pulgas vão para o bicho e livram-me dos perigos das picadas dos insectos, que alguns animal shelters todas as semanas matam gatos que não foram adoptados e por isso, família, se não me deixarem ter um gato terão sangue nas vossas mãos e eu vou fazer questão de vos lembrar disso  todas as 4ªs feiras (dia em que este shelter mata os gatos). E por fim, mãe e tio, vocês encontram-se um ao outro, eu não planeio casar nos próximos 10 anos, mas acho que também mereço alguma coisa que me ame e queira passar a vida comigo - um gato.

O que eu queria de vocês, meus queridos leitores, era que explicassem o quão fantásticos e indispensáveis à sobrevivência do ser humano enquanto pessoa feliz eles são. Please?

(mãe, antes que use o argumento o-que-é-que-fazes-ao-gato-se-voltares-para-Portugal-que-já-temos-um-cão, prometo que se tiver mesmo que voltar vou trabalhar para alugar uma casinha para viver com o meu gato)

33 comentários:

  1. Eu como pai não me oponho, mas acho melhor perguntares aos gatos se há algum que queira viver contigo.

    ResponderEliminar
  2. Olaaa Maria, começámos por ter uma gata porque a resgatamos da rua antes que fosse atropelada por um carro e já vamos em duas gatas lá em casa :)
    Sim são uns amores, depois de se ter um são como filhos, só que de 4 patas lol!
    Ter um gatinho é poder dar festinhas, beijinhos e abraçar/esborrachar o animal com amor!
    Sim matam tudo o que é bicho que voa (são óptimos mata moscas biológicos lol), mas não te impedem de ser picada pelos mosquitos lol!
    Mas é chegar a casa e ter um miau a porta a nossa espera e a dar-nos as boas vindas! A pedir festinhas porque tem saudades nossas! E depois quando dormem fazem aqueles olhinhos enormes mega queridos (tipo o gato das botas no Shrek) a que uma pessoa nao consegue resistir! :)
    Mas dps ha a parte chata, mas nao vou falar disso pq o q importa mesmo é o LOVE todo que um animal pequeno pode dar e nos faz dar! :) Acho que deves ter um gatito sim sra! Mãe da Maria, ela merece um gatito, um miauzinho para lhe dar amor todos os dias nos States!!! Vá láááá.... :)


    ResponderEliminar
  3. Eu tenho uma gata e duas cadelas e dão-se todas muito bem. São a minha alegria, a minha companhia e a gata parece cada vez mais uma cadela porque anda sempre mas sempre atrás de nós. São seres extraordinários e naqueles dias mais tristes acabam sempre por te fazer rir. Até podem dar cabo do sofá e dos cortinados mas depois olham para ti com aqueles olhinhos e nem queres saber das asneiras que fazem :) Aconselho vivamente!

    ResponderEliminar
  4. O gato é o animal que menos trabalho dá. Apoio-te na decisão!
    Apanhei o meu da rua vai fazer uns nove anos e que fantástica companhia me fez durante os tempos de faculdade!
    Já tens algum em mente desse canil/gatil? Tenta adoptar um que não seja completamente bebé, são sempre os mais rejeitados. O meu já tinha perto de um ano e adaptou-se lindamente :)

    ResponderEliminar
  5. Olá Maria,

    Muitos parabéns, antes de mais, pelo seu blog, que tenho acompanhado, há alguns dias, com muito entusiasmo.

    Não sei lá muito bem como convencer a sua família sobre este assunto (é sempre mais fácil fazê-lo com a nossa ;)...

    Mas posso dizer-lhe que, desde os meus 6 anos, que sempre vivi com gatos (periquitos, hamsters e tartarugas) em casa dos meus Pais. E que, sem dúvida alguma, partilhar a nossa vida com outros seres vivos (animais) é verdadeiramente estimulante e aprendemos bastante (até sobre nós próprios!).

    Sou uma cat-person, como os meus amigos costumam dizer... Não só por ADORAR gatos, mas, sobretudo, por me identificar muito com a sua personalidade independente e mágica.

    Há 8 anos, quando me mudei para a minha casa, logicamente, que tive que adquirir companhia felina.
    Desde então, fruto desta paixão por animais em geral, tenho, também, ajudado na esterilização de gatos de rua e dado alguns para adopção.

    Este ano, apaixonei-me por um cão (é certo, um cão que já estava habituado a gatos! Mas, pessoalmente, acredito que qualquer animal de raça diferente, com muita paciência e esforço da nossa parte, se habituará a qualquer outro)... E, contra a minha própria família (que acreditou que eu tinha enlouquecido por completo!), decidi adoptá-lo.
    Há 6 meses que tem sido uma experiência interessantíssima! :)
    Mas posso confirmar-lhe que continuo a ser muito mais uma cat-person, apesar de adorar o meu Hoshi (cão).

    Espero que este meu comentário a possa ajudar a convencer a sua família e que, brevemente, possa resgatar um desses gatinhos de um Canil de Nova Iorque.

    Bjs

    ResponderEliminar
  6. Arranja lá o gato e o resto é conversa! Vai saber bem a companhia e tudo o resto ;) Quando voltares para cá, logo se vê. Não é o fim do mundo.

    ResponderEliminar
  7. Eu tenho dois gatos e sou muito feliz com eles. O meu sonho era ter mais um, branquinho, adoptado claro, porque o mais velho é cinza e o outro preto e acho que o branquinho completava a familia. Vai em frente e arranja sim um gato (salva um gato) e vive feliz com alguém que gosta de ti mais que tudo no mundo. Sao responsabilidade, sao sim, mas os miminhos e a companhia vale tudo.
    Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu tenho um casal de gatos brancos, adultos, à procura de quem os ame. Porque vou sair do país e nos primeiros meses não terei condições para os ter :( vai ser muito dificil :(

      Eliminar
  8. Um gatinho para aquecer os pés no dias frios, para brincar quando estás aborrecida etc, etc, etc, etc... é so vantagens!!
    E alem disso sao criaturas muitoo fofinhas!! :)
    Good Luck

    ResponderEliminar
  9. eu decidi arranjar uma gata há 3 anos e foi a melhor decisão da minha vida! entretanto já se juntou outro gatinho à família e eles adoram-se, são a luz da minha vida e fazem-me muito feliz todos os dias :) então agora no inverno dão um jeitaço para aquecer os pés na cama lol acho que não devias pensar muito nisso, arranja o gato e pronto, de certeza que nunca te vais arrepender!

    ResponderEliminar
  10. Tinha de comentar!:D
    Adoptei um gatinho há uns meses e tenho a dizer que dão 95% MENOS trabalho que um cão! E este gatinho em pouco tempo se habituou a 2 cães - um deles bem grande - Serra da Estrela. Fazem stare down contests a toda a hora :D

    ResponderEliminar
  11. Desde criança que sou apaixonada por essas estraordinárias criaturas ... tenho um persa comigo vai para 8 anos ... adoptei-o pois a familia que o adquiriu tratava-o tão mal que nos primeiros tempos aquilo nem me parecia um gato ;( ... com o tempo, com todo o carinho e atenção que lhe dou consegui recuperá-lo e desde então que somos imensamente felizes ... à posterior conheci o meu marido que não gostava de gato (dizia ele), mas que agora o adora tanto como eu! É uma espécie de filho, mas de uma raça diferente da nossa lol ... o meu grande amigo, o meu companheiro de tantos momentos, a minha alegria e paixão ... não vivo sem ele e o dia que tiver de viver vai ser um dos mais tristes da minha vida.

    ResponderEliminar
  12. Ah ah ah! O cão não é desculpa, não é mesmo, eu tinha um cão apanhado da rua, que dava ares de ter sido cão de caça, odeia outros cães, outros animais no geral e adora a gata que adotei no ano passado. O truque é adotares um gato bebe (eles em bebe sao sociaveis e ainda não percebem muito bem aquela cena das difernças entre especies) e apresenta-lo logo ao cão. No inicio não foi facil, o cão rosnava, a gata bufava, mas com o tempo foram percebendo que tinham mais era que se dar bem, porque iam passar o resto da vida um com o outro. Hoje em dia adoram-se, a gata fica sentada a porta a espera do cão e este quando chega enche-a de lambidelas como se não a visse há anos. Dormem juntos, brincam juntos, adoram-se. Por isso toca de arranjar o gato e apresenta-lo ao cão :)
    JS

    ResponderEliminar
  13. Não entendo porque é que precisas da autorização da tua mãe em Portugal para teres um gato nos E.U.A. Não é crítica, queria mesmo saber.

    Gosto do teu blog :) Gostava é de ver mais fotos de NY e do dia-a-dia numa cidade dessas.

    Continua!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Porque enquanto me sustentar, tem algum poder de decisão sobre estas coisas da minha vida :p

      Eliminar
  14. Genteeeeee :D obrigada!!! São uns fofinhos! Vou ler isto tudo à minha mãe com uma voz sentimental, pode ser que pegue. OBRIGADAAAAA

    ResponderEliminar
  15. Olá eu chamo-me Maria e vou-te contar a minha história.

    Apesar do amor que eu e o meu marido sentimos um pelo outro, o meu casamento já andava um pouco tremido com as discussões e as dificuldades do dia a dia, e quando descobrimos que não podíamos engravidar, a coisa descambou por aí abaixo.

    Um dia, apanhei um gato na rua que tinha acabado de ser atropelado e trouxe-o para casa. Só queria ver como ele estava, dar-lhe comida e ver se era preciso ir com ele ao veterinário.

    Escusado será dizer, que fiquei logo apaixonada por ele e convenci o meu marido a ficarmos com ele definitivamente.

    O gato adaptou-se logo a nós e á casa, e a pouco e pouco a nossa relação foi melhorando.

    Um gato não substitui um filho, mas derrepente encontramos algo para dar amor e canalizar as nossas energias sobrantes.

    A tensão entre nós foi-se aliviando e começamos a relativizar os problemas e as coisas que não nos corriam menos bem e o que parecia o maior problema do mundo, ia-se a ver e afinal até nem era assim tão mau e tinha solução.

    Passados uns meses, o bicho começou a ficar diferente comigo, cheirava a minha barriga, mandava saltos e não queria que eu lhe desse colo, mas á noite vinha sempre dormir para o pé de mim encostado ao meu peito.

    Pensamos que ele estivesse, até que descobrimos quem "sofria" de uma patologia era eu.

    Estava finalmente grávida e a reacção do gato foi adoptar uma postura calma e protectora comigo.

    Posso dizer que foi graças ao meu Batman que o meu casamento ultrapassou a crise em que estava e também graças a ele, que nós nos deixamos de focar só na ideia dos filhos, e assim eu finalmente engravidei.

    Isto tudo para te dizer que uma gato é muito mais que um animal, ao adoptares um gato, um cão, ou que animal for, ele passa a ser parte da família, e como tal merece todo o respeito e amor, mas também claro está, tem regras a cumprir e limites.

    Devo-te acrescentar que um gato não dá trabalho nenhum, é pôr comida, tirar os cocós dia-sim, dia-não e lavar o seu wc ao fim-de-semana.

    Tens é de fazer um investimento inicial e ir com ele ao vet e esterizá-lo.
    O único incoveniente é no início antes de estar educado te poder arranhar algumas coisa, como sofás e cortinados, mas com umas palmadas a coisa vai sítio e deves ainda comprar um arranhador vertical e fazê-lo perceber que esse é o único sítio onde ele pode afiar as unhas.

    Espero ter ajudado.

    Beijinhos e boa sorte!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se esta história não os convencer, é porque não têm sentimentos!!! Lindo... :) obrigada por partilhar, adorei! Beijinhos e que continuem felizes!!!

      Eliminar
    2. opá que história maravilhosa!!! e com as devidas diferenças revejo a minha gata neste Batman! e é mesmo assim, fácil e tranquilo! (só a esterização e a educação no início podem ser mais dificeis, mas td passa e dps são só alegrias!!)

      Eliminar
  16. Sra. D. Mãe e caríssima família da Maria, o gato é o melhor companheiro que se pode ter! Claro que pra quem gosta, o que parece claramente ser o caso da Maria =)

    Eu tenho uma gata que nos apareceu no quintal de casa e nos adoptou. Sim foi ela! Deve ter sido abandonada e encontrou em nós a protecção perdida. Andei quase 30 anos a pedir um gato e lá em casa, e nem pai nem mãe estavam pelos ajustes. Diziam eles que os gatos são frios e independentesm,que não dão mimo nem querem mimo. Acabaram por ficar com pena dela e hoje são apaixonados por ela e não imaginam a vida deles sem ela. Ela sempre e só fica nas divisões da casa onde está alguém, anda sempre atrás de nós, trepa pró colo quando se chega a casa, pede mimo, dá mimo quando nos sente menos bem, e parece que entende tudo o que lhe dizemos... enfim só lhe falta mesmo falar!! E tem uma profunda confiança em nós e é-nos super leal. Sabemos isso por dois motivos: porque parece ser normal em gatos não bébés que foram abandonados e depois re-adoptados serem assim com os novos donos e porque quando teve um bébé (ela tava prenha quando veio pra nossa casa) e perdeu o leite ela foi buscar a cria e colocou-a nas mãos da minha mãe porque sabia que era quem a poderia ajudar para a cria não morrer... <3 E como a filha ficou com um familiar, encontram-se com regularidade e tudo corre maravilhosamente!! Estou a contar tudo isto porque acho muito bonita a nossa história com ela e porque me fez conhecer uns novos pais que de totalmente indeferentes a gatos hoje são grandes defensores da raça e aconselham a toda a gente!

    Hoje morro de saudades dela porque temos um oceano que nos separa, mas com o skype tudo é possível e até comunicar por lá nós conseguimos!!!! Foi uma das melhores coisas que me aconteceu na vida, e só estou à espera de organizar melhor a minha vida nesta terra nova pra adoptar um gato. Vai ser complicado com as viagens mas arranjaremos forma =)

    E isto é só uma pequena parte do que podemos esperar dela. Pr'além dos insectos que come e dos bichos que encontra e espanta! E os cortinados e sofás lá de casa não estão destruídos. E é mt limpinha! Até mia e espera pra fazer as necessidades se a areia não estiver limpa!! E um gato aguenta muito mais ficar um dia sozinho que um cão. Porque na verdade ele é independente e também gosta de ter os seus momentos de privacidade.

    E sim, é uma tristeza a quantidade de animais que morrem porque não arranjam dono....... :'(

    Pra quem mora só e gosta o gato é "O" animal!!! Por isso andem lá e façam a moça feliz =)

    [espero que o meu longooooooooooooooo texto (desculpem mas sou mt faladora e no que toca à minha gata então....) te ajude nesta luta que um dia tb foi a minha!!!]

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lindo!!!!!!!! :) adorei a história, obrigada!!!

      Eliminar
    2. de nada =) sempre às ordens! pa estas coisas de gatos, pós postais, e pra ver o blogue giro que criaste todos os dias =)

      Eliminar
  17. Eu também quero ter um gato eheh
    Depois dá-nos novidades ;-D

    ResponderEliminar
  18. Olá
    Não me vou estender em histórias, basicamente é isto, no ano passado queria um gato e o meu marido não, tanto chateei que acabei por desistir, até ao dia em que chegámos de Serra Nevada do fim de ano e tinha uma bolinha de pêlo á minha espera :) Companhia maravilhosa, só que como gostamos de viajar a Faísca ficou este ano umas duas ou três vezes sozinha, e achei que a menina precisava de companhia, resultado há 2 semanas chegou cá a casa a Mikas e são uma companhia, neste momento que escrevo a mensagem, está uma aos meus pés e a outra debaixo das mantas :)
    É uma companhia sim sra e nessa cidade ajudava imenso naqueles momentos mais nostálgicos onde impera a saudade de casa :)
    Força e não desita
    Bjs

    ResponderEliminar
  19. olá, eu tenho 2 felinos felpudos em casa, um bicho e uma bicha (!). fazem imensa companhia, mas também são independentes. e chegar a casa e tê-los à espera é a melhor coisa. força nisso!

    ResponderEliminar
  20. Eu estou também a morar noutro país, em França, e dava muito jeito uma companhia de um felino ou canino, mas, o problema prende-se sempre com as ausências. Não tenho quem possa ficar com o pequenito :(

    Acabo sempre por desistir da ideia.

    ResponderEliminar
  21. Acredita, um gato torna uma casa num lar! Boa sorte e se disserem que não, rebela-te por essa boa causa. :)

    ResponderEliminar
  22. http://www.osgatos.com.br/Razoes-para-voce-ter-um-gato.htm

    Querida Mãe da Maria veja este link e depois diga lá se resiste em dizer não há sua filha! ::)

    ResponderEliminar
  23. Bem embora venha um pouco atrasada não podia não responder.
    eu desde ai os 10 anos que queria um gato e a minha mae dizia disparates de criança o tempo foi passando e eu sempre tive a mesma ideia. a minha mae mas isso da muito trabalho os gatos são frios bem a historia do costume.
    parece que ela uma vez comentou isso com uma colega do trabalho que levou a historia a serio e um dia sem ela esperar apareceu lhe com uma gata que tinha nascido na quinta dela.
    devo dizer te que hoje adora a gata que ela é completamente parte das nossas vidas. qd esteve doente em casa 2 meses devido a uma operação a recuperar a gata esteve sempre lá e nunca a deixava sozinha. os gatos fazem muita companhia e percebem a situação.
    arranja um gato é uma ideia maravilhosa, vais adorar =)

    ResponderEliminar
  24. Olá Maria! Espero que as férias estejam a ser pra lá de espectaculares!!:)Desejo um Bom Natal para ti e família e já agora com um gatinho no "sapatinho";)São uma companhia adorável tudo o que uma filha solteira e a viver sozinha precisa.. Trust ME;)
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  25. Olá!
    Adoro ler o teu blog... :)
    Espero que tenhas tido um bom Natal...se bem que acabei de ler o último post e portanto...Natal é Natal..

    Quando ao gato..eu acho uma excelente ideia, toda a vida fiz resistências a ter gato, sempre tive cão e quando não tive não tinha mais animal nenhum. Todos diziam.."ah afiam as unhas"..."marcam território"..."são péssimos com o cio"...."largam imenso pelo"...mas esqueceram de me dizer o mais importante: que são o verdadeiro significado de companheiro. Eu tenho 2 cães e 1 gata, não podia estar mais feliz com ela. Ela mostrou me que a indenpendência não é mais do que um acto de respeito e amor. Ás vezes fico a observá-la e aprendo a ligar com o ser humano. Não sou fanática ou obcecada, simplesmente fui conquistada por esta felina. Divertida, louca, trapalhona mas...um mimo que sabe dar mimos quando uma lágrima cai...ou quando passamos o Natal sozinhos...aliás, não foi sozinha...foi com ela.
    Quanto à questão de se fores para fora passar uns dias, ou férias ou de vez..cada coisa a seu tempo e conseguirás com certeza arranjar solução. A facilidade de gestão e logística com os gatos é que são de porte pequeno, são asseados, comem ração seca (portanto não sujam)...tudo à ajudar.
    Portanto...gostava muito que numa das minhas próximas visitas aqui ao blos já encontrasse uma foto do miau que vais salvar!
    Beijinhos

    P.S. Tens razão..o Natal é tudo isso que disseste...bahh

    ResponderEliminar