5 de dezembro de 2012

A falta de valores ou as prioridades trocadas


Ontem de manhã estava à espera do metro e anunciaram nos altifalantes que nenhum comboio parava na 49th station devido a uma investigação policial. Fiquei a pensar nisso, ainda tentei abrir a notícia no telefone, mas como a rede nas estações e no próprio metro é praticamente inexistente e estava quase atrasada para as aulas (para variar...), acabei por me esquecer. Até um amigo me mostrar hoje esta fotografia da capa do New York Post. A capa é chocante, coisa que o NYP gosta muito de fazer. O que me chocou mais foi a ideia de alguém tirar uma fotografia em vez de ajudar o homem, que foi atirado para a linha por um sem-abrigo (supostamente bêbedo ou com problemas mentais) depois de uma discussão. Até encontrar esta declaração do fotografo, em que explica que isto aconteceu tudo em 22 segundos e que estava a tentar alertar o maquinista com o flash da máquina. E diz também que as pessoas que estavam perto do homem não se mexeram para o ajudar, como se vê nesta fotografia:


O que eu não percebo é o que leva alguém a ver um homem ser atirado para a linha com um comboio a vir  e ficar quieto no lugar. Não estou a dizer para se porem em frente ao comboio, nem para se atirarem para a linha, nem sequer para o ajudar a subir - mas se alguém lhe tivesse dito para se deitar no meio dos carris, provavelmente ainda estava vivo. E choca-me também o que aconteceu depois: uma médica estava a assisti-lo depois de ser atropelado e veio um monte de gente de telefones em punho, a acotovelarem-se para tirar fotografias ou fazer filmes de um homem às portas da morte. Que merda de pessoas são estas? Que merda de sociedade é esta, com os valores todos alterados? Desde quando é que é mais importante tirar uma fotografia do que salvar uma vida? Se há coisa que me incomoda neste mundo é a falta de humanismo, a falta de valores, o egoísmo e o dinheiro a todo o custo. E não vale a pena pensar que é por ser em NY e que os americanos são malucos - seria assim em qualquer outra parte do mundo e isso é que me preocupa.

18 comentários:

  1. Estou chocada. De coração acelerado, até!

    Também não consigo perceber...

    ResponderEliminar
  2. Boa noite,
    conheci o teu bloq depois da ida da pipoca a nova iorque.. Não quero estar a ser mázinha mas gosto mais do teu.., o da pipoca dá me um pouco de inveja toda as combinações fantasticas que ela faz e talvez porque penso que está a viver em nova iorque e esse sempre foi um sonho meu..
    Gosto imenso de tudo o que expões, e ja se tornou um hábito, abrir o mail, o facebook, e depois ir aos blogs, o teu e o da pipoca.

    Bem, nem sei porque escolhi escrever um comentário logo depois de este post bastante agressivo e super realista, mas enfim deu me o empurrãozinho para comentar.

    Continua assim :D

    Cumprimentos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ohh obrigada! :) (Mas o blog da Ana dá 20 a 0 ao meu haha)

      Eliminar
  3. é verdade que em todo o mundo há pessoas más e malucas, mas sinceramente acho que isso de tirar fotografias a alguém que está a morrer acontece muito mais facilmente na América do que por exemplo cá em Portugal

    ResponderEliminar
  4. Eu fico estúpida com estas coisas....

    http://semjeitonenhum.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  5. Quando li a notícia fiquei em choque, mas infelizmente hoje em dia cada vez mais reina o umbiguismo (e isso sim deixa-me completamente chocada)

    P.S. Também cheguei cá através do blog da pipoca e gosto mesmo muito. Talvez o sonho de ir a NY ajude a gostar muito do que escreves :)

    ResponderEliminar
  6. Estou chocada, como é que é possível ninguém se aproximar e ajudar? Bolas... o mundo anda louco
    (adoro o blog, keep on!)

    ResponderEliminar
  7. Não há mesmo muito mais a dizer sobre isto... o Ser Humano consegue ser muito Desumano!

    ResponderEliminar
  8. Não é só em NY, por todo o mundo isso acontece.

    ResponderEliminar
  9. É de facto muito impressionante ... não tem explicação ... quero acreditar que se isto acontecesse aqui, alguem tentaria ajudar a pessoa em vez de querer tirar a foto.

    ResponderEliminar
  10. Não sou da área da psycho mas quando vi esta notícia lembrei-me disto:
    http://www.psychologytoday.com/basics/bystander-effect

    Para mim o pior disto tudo é a exposição do momento da morte do homem pelo NYP. Revela respeito zero pela dignidade humana. Os bystanders ainda têm o benefício da dúvida (além do efeito bystander, a rapidez do evento pode não permitir uma boa avaliação da situação: E se me empurrarem também? E se eu dou a mão ao homem e caio também? etc). Aquelas 20 pessoas ali paradas serão todas elas más? Não estou a defender ninguém mas acho que só passando por uma situação destas poderemos ter certeza de como cada um reagiria...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por isso mesmo é que eu disse que nem sequer peço que o ajudem a subir, mas dizerem-lhe para se deitar no meio dos carris era o suficiente para o salvarem.

      E sim, é chocante a exposição dos últimos segundos de vida, especialmente com o DOOMED em grande...

      Eliminar
  11. Fogo, chocante mesmo... Isto vindo de uma pessoa que adora ler o jornal "O Crime".

    ResponderEliminar
  12. Acabei mesmo agora de publicar isso no meu blog. É mesmo um nojo ver como as pessoas são realmente quando vêem outra em dificuldade. E tens razão, isto aconteceu em NYC mas se acontecesse em Lisboa se calhar o fim era o mesmo... Nojo de sociedade sem valores nem princípios!

    ResponderEliminar
  13. Não é para desculpar o fotografo mas segundo a ESPOSA do senhor que morreu ele estava bêbedo e dai veio a discussão com o sem abrigo (o que uma garrafa de vodka faz ás pessoas)e as pessoas da estação disseram-lhe para deixar o sem abrigo em paz, o sem abrigo disse para ele o deixar em paz, e todos disseram para ele se deitar nos carris mas o senhor não se mexeu.

    Claro que alguma alminha podia ter feito alguma coisa mas, está estudado que o ser humano fica sempre a espera que os outros façam alguma coisa. É a razão de muita gente morrer... ninguém chama o 112 acham sempre que alguém já fez.

    Anyways, que triste mundo em que vivemos...

    ResponderEliminar