2 de Abril de 2014

A vida de uma waitress #2

Primeiro que tudo peço desculpa por esta ausência, que tem uma explicação. Duas, aliás: estive quatro dias em Portugal e quando voltei estive de cama com uma gastroenterite. Muito agradável. Há quem traga pastéis de nata, eu trago vírus.
Mas falando de coisas felizes, o restaurante onde trabalho não pára de me surpreender. Sexta feira, estava quase no fim do meu turno e quem é que aparece para jantar? O Luís Filipe Borges (ou o Boinas, se quiserem). Estivemos hooooras à conversa e acabámos a noite comigo a dar uma entrevista para o Fora do 5, um programa que dá às sextas feiras na Antena 3. Coisas estranhas acontecem na minha vida, eu sei. Se quiserem ouvir, passa já esta sexta, entre as 19h e as 20h.
Ontem, estava eu a tentar aguentar um turno de 12 horas e quase a desmaiar de dores de barriga e quem é que aparece para beber uns copos? O John Corbett, ou o Aiden do Sex And The City. Tive ali uns momentos em que achei que estava a ver coisas, que estava era a precisar de mais três dias de cama, mas não, era mesmo ele. É simpático, mas tem um ego que não deve caber em Manhattan e olha para as mulheres como se estivesse a escolher o melhor bife para o BBQ de Domingo. Mas deixem que vos diga, aquele homem sabe tocar de forma muito sexy nas costas de uma mulher.
1 de Abril deixou de ser o dia das mentiras e passou a ser o dia em que o Aiden me fez uma festinha nas costas e me deu um abraço.


Eu sei que nesta fotografia ele parece acabado, mas garanto-vos que ao vivo continua uma brasa!

22 de Março de 2014

Depois há dias em que a minha vida me entusiasma tanto que agradeço várias vezes a sorte que tenho.

19 de Março de 2014

Feliz dia do pai!

Especialmente para o meu pai, que é tão awesome que até me pinta o cabelo quando parace que me construiram uma autoestrada na cabeça.

15 de Março de 2014

A vida de uma waitress #1

Constatações da minha segunda noite de trabalho:
- Trabalhar com um restaurante cheio é mais fácil do que estando mais vazio;
- Pessoas que dão más gorjetas: shame on you!
- O meu espanhol está bom o suficiente para comunicar com toda a gente da cozinha;
- "Do you wanna hang out?" não é uma boa coisa para se dizer a alguém que está a servir uma sobremesa, especialmente se a seguir vier "you look just like my sister's ex". A não ser que tenha namorado com a irmã da Giselle Bündchen, não me parece uma boa pick up line;
- É óptimo ter um patrão que é amigo do Joaquim de Almeida, especialmente quando passa da meia noite e o Joaquim faz anos. É sempre bom falar ao telefone com o maior actor português nos Estados Unidos depois de um turno de 7 horas.

14 de Março de 2014

Vergonha


Vergonha é isto. É ter um país sempre atrasado, sempre burro, sempre pequenino, sempre provinciano, sempre retrógrado, sempre hipócrita. Acho completamente inadmissível e inaceitável que em pleno século XXI ainda se chumbem propostas de igualdade de direitos. O pior de tudo é saber que as próximas gerações, que podiam trazer ideias e objectivos novos, são iguais ou piores.
Correndo o risco de soar cliché, Portugal é exactamente como o Animal's Farm do Orwell: "todos os animais são iguais mas alguns são mais iguais que outros", e se há coisa que sempre me fez confusão é pessoas com mais direitos que outras. Um dia, Portugalinho, um dia.

13 de Março de 2014

Trabalhar, trabalhar!

Quem é que já faz parte daquele grande cliché que é uma actriz em Nova York trabalhar num restaurante? Eu própria! A partir de agora, quando disser que sou actriz e fizerem a piadinha "ai és? Então em que restaurante é que trabalhas?" já vou poder dar uma resposta além de um sorriso muito amarelo e uma vontade de dar um par de estalos.
E deixem que vos diga, estou muito orgulhosa de mim própria.